Precisamos de mais gente com fé

Imagem

Quarta-feira de cinzas e eu estava a caminho de uma audiência pública do Papa Francisco na Praça de São Pedro, no Vaticano. Foi ali que tive uma visão. Acredito que esse é o tipo de lugar propício para visões há mais de dois mil e dez anos. Fazia frio, muito frio, principalmente pra gente que mora nos trópicos. Esperando para atravessar a rua, dois padres ao meu lado, com seus hábitos e chinelo, sem se preocupar com o frio. São homens de fé, o que acreditam vai muito além de usar meias e cachecóis. Gente de fé faz falta nesse mundo ultra-individualista que vivemos, mundo em que todo mundo diz que luta por algo, mas não sabe direito dizer que algo seja esse.

A visão foi mais ou menos essa. Hoje temos um milhão de informações por segundo, acreditamos em várias coisas e não temos a menor pista do que realmente queremos. Diariamente inundamos as redes sociais com mensagens sobre como é bom ser feliz, mas o que é essa tal felicidade? Dia desses encontrei um grupo de teatro de São José dos Campos que reclamava de como não tinha verba para trabalhar e viver da arte por aqui. Tinham um leque de reclamações mas nenhum texto, projeto concreto e nenhum queria mesmo se esforçar pra fazer acontecer. Faltava fé.

Uma amiga sonhava em ser arquiteta, tem bom gosto, estudou certo, sabe tudo de Corbusier, Gaudí, etc. Arrumou um emprego num escritório interessante em São Paulo, coisas no eixo. Mas não aguentava a pressão dos chefes, pegar ônibus lotado, o cinza dos prédios e das pessoas na capital. Entrou numas que gostaria de fotografar, voltar para o Vale do Paraíba. Voltou. Faz um ano que está aqui e não deu um clique sequer. Reclama. Falta fé.

Essa falta de fé – e quando falo de fé, não falo em qualquer divindade, mas falo em acreditar em algo, na vida, na sua profissão, nos seus princípios – está construindo uma geração de desistentes. Gente que quer viver do que acredita, mas esquece que é preciso lutar, suar, cair, passar apertado para que isso aconteça. É a tal penitência, a quaresma, que temos que passar para sermos abençoados com a oportunidade de vivermos de arte – seja qual for a sua. É duro, mas se você acreditar, ganha força para passar pelos obstáculos. Vivemos numa região católica. E também vivemos numa região rica de investimentos, rica de cenários, rica de inspiração para fazer música, teatro, literatura, filmes, fotografias. Mas, como disse Paul McCartney, “arte é 90% transpiração e 10% inspiração”. Até virar o maior nome da música pop dos últimos 50 anos, Macca comeu o pão que Robert Johnson amassou. Você está disposto a isso? Espero que sim. Faça sua penitência, sua quaresma. Acredite. Precisamos de crédulos, de gente de fé. Só assim teremos uma cultura original, algo que teremos orgulho de mostrar por aí. Tenha fé – em tempos cínicos, acreditar é a atitude mais rock and roll a se fazer. 

——— 

A trilha desse artigo é de Sixto Rodriguez. Esse americano de Detroit gravou alguns discos nos anos 1960, sem repercussão alguma. Sumiu. O que ele não sabia naqueles tempos sem internet que os discos venderam muito e tocaram demais na África do Sul, criando milhares de fãs ávidos por informações sobre ele, que não existiam. Rodriguez foi redescoberto quarenta anos depois, graças ao fantástico documentário “Searching For Sugar Man”, vencedor do Oscar de 2012. Nessas quatro décadas, Rodriguez criou sua família, trabalhou na construção civil, continuou sua vida, sua penitência, seu cotidiano de homem comum. Mesmo sem lançar discos, nunca deixou de acreditar que sua arte era bem feita, vinha da alma. O sucesso veio. Logo depois do Oscar, fez uma turnê mundial, todas as datas esgotadas meses antes. Tive a oportunidade de ver um desses shows em New Orleans, ano passado. Vê-lo no palco, velho, doente, quase cego, mas cantando com uma energia de iniciante, renovou minhas crenças na penitência que temos que passar para chegar em algum lugar. Acredite. 

Imagem

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s